Psicomotricidade Relacional

A Psicomotricidade Relacional, criada na década de 60 pelos professores André Lapierre e Anne Lapierre, nos coloca de forma decisiva a importância do lugar do corpo na educação e de suas influências na comunicação humana.

O corpo e a aprendizagem caminham juntos! É por meio do corpo que o indivíduo entra em contato com o conhecimento. Do nascimento à idade adulta o corpo registra experiências e sentimentos, automatiza e domina movimentos, amplia sua capacidade de ação e produz padrões culturais de comportamentos. — Leopoldo Vieira

Dessa forma, a Psicomotricidade Relacional é uma ação de cidadania e de transformação social. É um tema que instiga a refletir sobre a necessidade de se mudar o discurso verbal e agir na busca de uma comunidade educacional aberta à demanda de relações, baseada em valores humanos. Nesse contexto, os comportamentos afetivo-emocionais tornam-se indispensáveis à conquista de novas aquisições e conhecimentos essenciais ao bem-estar pessoal e social.

Trata-se de uma ferramenta que investe não em dificuldades e sintomas, mas em possibilidades de crescimento e de aperfeiçoamento em que o sujeito potencializa a capacidade de desenvolver globalmente sua personalidade.  A Psicomotricidade Relacional tem comprovado sua eficácia em termos de:

Comportamento: ajusta positivamente a agressividade, inibição, falta de limites, baixa tolerância à frustração, hiperatividade etc.

Aprendizagem: desperta o desejo para aprender; eleva o rendimento escolar; minimiza as dificuldades de expressão motora, verbal ou gráfica; melhora a orientação espaço-temporal, apesar de a criança apresentar um desenvolvimento cognitivo normal, aumenta a capacidade de assimilar novos conteúdos; reduz distúrbios de atenção; desenvolve o potencial criativo, dentre outros.

Socialização: facilita a integração em grupos sociais, potencializa o desejo de participar de atividades grupais, eleva a capacidade para enfrentar situações novas etc.

Atividades de Psicomotricidade Relacional no CIAR

O CIAR oferta desde 1997 o curso de Pós-Graduação: Formação Especializada em Psicomotricidade Relacional, internacionalmente reconhecido pelo criador do método, André Lapierre (1923 – 2008), e supervisionado por: Anne Lapierre, Leopoldo Vieira e Isabel Bellaguarda.

O CIAR mantém ainda o Seminário Teórico-Prático em Psicomotricidade Relacional, desenvolvido através de palestra e vivência prática, que visa despertar novas possibilidades de comunicação e ampliar o conhecimento de profissionais e estudantes de diversas áreas sobre a Psicomotricidade Relacional.

Com base na Psicomotricidade Relacional, o CIAR desenvolve atividades que enfocam a abordagem relacional, direcionadas a segmentos pessoais e profissionais. Atendemos clinicamente grupos de crianças, adolescentes, jovens, casais e famílias. Realizamos ainda atividades diversas direcionadas a equipes de educadores, consultoria para escolas e grupos empresariais.